Mundo & História
Um gigante carnívoro: 10 curiosidades sobre o urso polar | Mundo & História
Urso polar na baía Wager (Parque Nacional Ukkusiksalik, Nunavut, Canadá). Crédito: Wikimedia.

Um gigante carnívoro: 10 curiosidades sobre o urso-polar

Predador ártico e absoluto em seu domínio, o urso-polar também sofre com as consequências das mudanças climáticas.

Com a chegada do período natalino, Mundo & História preparou uma lista de curiosidades sobre um fabuloso animal que não deixa de ser também um símbolo do Natal. Ao lado de Papai Noel, bonecos de neve, renas voadoras, árvores natalinas e flocos de neve, há um protagonista gelado que merece – e muito – a sua atenção no mundo real: o urso-polar.

No Ártico, onde o gelo se estende até onde os olhos podem alcançar, este soberano incontestável domina as terras geladas com majestade. Podendo chegar aos 3 metros de altura, o gigante predador ártico é absoluto em seu domínio, e personifica a força e a adaptação a um dos ambientes mais desafiadores do planeta. Veja abaixo 10 curiosidades sobre este predador polar!

Rei do gelo

O urso-polar (Ursus maritimus) é considerado o maior carnívoro terrestre e o rei indiscutível do gelo ártico. Os machos adultos podem atingir impressionantes 3 metros de altura quando estão de pé sobre as patas traseiras. São maiores até mesmo que o urso-pardo (Ursus arctos).

A pelagem estratégica do urso-polar

Sua pelagem branca (que na verdade não é branca) não é apenas uma bela característica, mas também uma ferramenta crucial para a sobrevivência. Os pelos translúcidos e ocos funcionam como isolante térmico, mantendo o calor do corpo e proporcionando camuflagem no vasto campo de gelo.

Nadadores habilidosos

Os ursos-polares são excelentes nadadores e podem cobrir distâncias surpreendentes no mar. Eles conseguem nadar a uma velocidade média de 10 km/h e podem completar até 100 km em uma única vez.

Família polar

As fêmeas constroem tocas na neve para dar à luz, geralmente entre novembro e janeiro. Elas hibernam nessas tocas, dando à luz durante o sono profundo. As crias nascem cegas e só abrem os olhos algumas semanas depois.

A dieta especializada do urso-polar

Com uma dieta praticamente exclusiva de carne, os ursos-polares dependem principalmente de focas para sua nutrição. Eles têm uma técnica única de caça, esperando pacientemente ao lado de buracos no gelo para capturar suas presas. Também se alimentam de aves, peixes, carcaças de baleias e vegetação (raízes, musgos e líquens).

Extremamente adaptados

Esses ursos têm adaptações notáveis para suportar o frio extremo. Além da pelagem, possuem uma camada de gordura espessa que ajuda a isolar o calor e serve como reserva de energia durante períodos de escassez alimentar.

Leia também: Esta ave está sendo levada à extinção por mosquitos

Sentido aguçado de olfato

Os ursos-polares têm um olfato incrivelmente aguçado, podendo detectar presas a quilômetros de distância. Isso é crucial para encontrar focas, uma vez que elas frequentemente ficam escondidas sob a espessa camada de gelo.

Desafios da mudança climática

O aquecimento global e o derretimento do gelo ártico representam sérios desafios para a sobrevivência dos ursos-polares. Com o encurtamento das estações de gelo, eles têm que percorrer distâncias maiores para encontrar alimento.

Encontro com humanos

Embora esses majestosos animais normalmente evitem interações com humanos, o derretimento do gelo e a redução das áreas de caça aumentaram os encontros, o que pode ser perigoso tanto para os ursos (infelizmente a caça predatória é uma realidade) quanto para as pessoas.

Espécie vulnerável

Infelizmente, os ursos-polares são considerados uma espécie vulnerável devido às ameaças crescentes do aquecimento global e à perda de habitat. A conservação e proteção desses animais tornaram-se uma prioridade global.

Mundo & História está no Instagram, WhatsApp, X, Facebook, Telegram e Google Notícias. Não deixe de nos acompanhar por lá!

Mario Cavalcanti

Jornalista pioneiro no campo da internet brasileira, Mario Cavalcanti começou a trabalhar com conteúdo online em 1996, tendo passado por portais de destaque como Cadê?, StarMedia Brasil, iBest, Globo.com e Click21. Gosta de assuntos como mistérios, criptozoologia, expedições e descobertas científicas. É editor do portal Mundo & História e também coeditor da revista de contos Histórias Extraordinárias, da Editora Mundo.

Do passado ao futuro. Dos confins do universo às profundezas do mar. Mundo & História é um portal de notícias focado essencialmente em conteúdos de teor científico, curioso e histórico.