Mundo & História
Pesquisa italiana cria 'nariz eletrônico' que identifica vinhos | Mundo & História
Pesquisadora testa 'nariz eletrônico'. (Foto: Reprodução)

Pesquisa italiana cria ‘nariz eletrônico’ que identifica vinhos

Invenção pode melhorar teste de controle de qualidade; nariz eletrônico passou por testes reais com diversos vinhos.

(ANSA) – O mundo dos vinhos pode ganhar um novo auxílio: um “nariz eletrônico” capaz de reconhecer o frescor do produto e sua origem. Este é o resultado do trabalho da física italiana Sonia Freddi, em uma pesquisa da Universidade Católica de Brescia, uma descoberta que abre novos caminhos para testes de controle de qualidade.

Segundo a pesquisa, alimentos e bebidas emitem moléculas específicas de gás que podem indicar se um produto está fresco ou deteriorado. O nariz eletrônico detecta essas moléculas biomarcadoras por meio da análise dos componentes voláteis.

Leia também: Pesquisadores chineses desenvolvem pele eletrônica com regulação isotérmica

O vinho, em particular, é caracterizado por componentes organolépticos e voláteis específicos, cerca de 800 diferentes, que identificam não apenas sua composição química ou o tipo de uva utilizada, mas também sua procedência.

Testes com o nariz eletrônico

Nos últimos anos, a indústria vinícola tem buscado técnicas cada vez mais rápidas e confiáveis para controlar a origem de vinhos com denominação de origem controlada (DOC) ou denominação de origem controlada e garantida (DOCG).

O nariz eletrônico foi testado em laboratório em várias substâncias de amostra, como amônia, acetona e ácido acético, indicadores de adulteração do vinho.

Em seguida, foram realizados testes reais com diversos vinhos, tanto para verificar seu frescor quanto para o reconhecimento de diferentes tipos de vinho.

Leia também: Musk anuncia implantação de 1º chip cerebral em humanos

Vários vinhos brancos e tintos foram testados, das variedades Pinot Grigio, Pinot Rosso, Lugana, Chardonnay, Sauvignon, Prosecco, e Rime Rosé.

O nariz eletrônico mostrou ser capaz de reconhecer tanto a frescura e adulteração de um vinho, quanto de identificar com boa precisão os diversos vinhos testados. (ANSA).

Mundo & História está no Instagram, WhatsApp, X, Facebook, Telegram e Google Notícias. Não deixe de nos acompanhar por lá!

Mario Cavalcanti

Jornalista pioneiro no campo da internet brasileira, Mario Cavalcanti começou a trabalhar com conteúdo online em 1996, tendo passado por portais de destaque como Cadê?, StarMedia Brasil, iBest, Globo.com e Click21. Gosta de assuntos como mistérios, criptozoologia, expedições e descobertas científicas. É editor do portal Mundo & História e também coeditor da revista de contos Histórias Extraordinárias, da Editora Mundo.

Do passado ao futuro. Dos confins do universo às profundezas do mar. Mundo & História é um portal de notícias focado essencialmente em conteúdos de teor científico, curioso e histórico.