Mundo & História
Sonda japonesa Hakuto-R perde contato com a Terra em missão à Lua | Mundo & História
Simulação da sonda em solo lunar / Divulgação

Sonda japonesa Hakuto-R perde contato com a Terra em missão à Lua

Japão entraria na seleta lista de países que pousaram naves na Lua; até o momento só a China, os EUA e a União Soviética conseguiram ir ao satélite natural.

A sonda japonesa Hakuto-R Mission 1, da ispace, iria fazer um pouso histórico na Lua nesta terça-feira (25), mas perdeu a comunicação com a Terra minutos antes de atingir esse objetivo. E caso tivesse obtido sucesso na aterrissagem, a ispace se tornaria a primeira empresa privada a pousar uma sonda em solo lunar.

“No momento, não fomos aptos a confirmar que ele pousou na superfície. Nossos engenheiros continuam a investigar o atual status do Haruto. Entretanto, perdemos as comunicações. Temos que assumir que possivelmente não completamos o pouso na superfície”, falou um representante da ispace na transmissão ao vivo.

Módulo Hakuto-R transportava um automóvel

O módulo japonês já estava em órbita desde o último mês de março e, por isso, não houve o procedimento de decolagem. A sonda foi lançada em dezembro do ano passado por um foguete Falcon 9, da SpaceX, empresa do magnata Elon Musk.

Leia também: China quer usar impressão 3D para construir na Lua

De acordo com a ispace, a sonda transportava um automóvel batizado de “Rashid”. O veículo de quatro rodas, produzido por uma empresa dos Emirados Árabes Unidos, estava na companhia de um robô lunar desenvolvido pela agência espacial japonesa, a JAXA.

A ispace não é a primeira empresa privada a não concluir uma missão lunar. Em abril de 2019, a companhia israelense SpaceIL, sem ter o que fazer, ficou observando seu módulo colidir com a superfície lunar.

Com informações da agência de notícias Reuters.

Mundo & História está no Instagram, WhatsApp, X, Facebook, Telegram e Google Notícias. Não deixe de nos acompanhar por lá!

Mario Cavalcanti

Jornalista pioneiro no campo da internet brasileira, Mario Cavalcanti começou a trabalhar com conteúdo online em 1996, tendo passado por portais de destaque como Cadê?, StarMedia Brasil, iBest, Globo.com e Click21. Gosta de assuntos como mistérios, criptozoologia, expedições e descobertas científicas. É editor do portal Mundo & História e também coeditor da revista de contos Histórias Extraordinárias, da Editora Mundo.

Do passado ao futuro. Dos confins do universo às profundezas do mar. Mundo & História é um portal de notícias focado essencialmente em conteúdos de teor científico, curioso e histórico.